Oficina de Prática Jurídica II - Técnicas de Negociação e Mediação

Ementa: 

DISCIPLINA SEM OFERTA NESTE SEMESTRE: PERTENCE AS SÉRIES INICIAIS DE CURRÍCULO EM PROCESSO DE EXTINÇÃO.

Advogados e operadores do Direito negociam todo dia, com outros advogados e com clientes, nas mais diversas áreas do Direito, na prática pública ou privada, em empresas ou escritórios de advocacia. Entretanto, advogados raramente estudam o processo de negociação e os motivos pelos quais elas falham, com o consequente prolongamento de disputas e destruição de valor para as partes e para a sociedade. A presente Oficina tem por objetivo apresentar a teoria e prática da negociação, desenvolver as habilidades e a eficácia dos alunos como negociadores e proporcionar-lhes ferramentas para o contínuo aperfeiçoamento.

A mediação, entendida como a facilitação de uma negociação por um terceiro neutro, tem tido um papel crescente na prática jurídica internacional. Além disso, o instituto tem futuro promissor no Brasil. É de se esperar que advogados de transações comerciais e da área contenciosa tenham familiaridade com o processo de mediação. A Oficina tem por finalidade apresentar a teoria e a prática da mediação, assim como os principais pontos de controvérsia sobre o tema.

A participação na Oficina é importante para alunos que desejem participar de competições internacionais sobre o tema.

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS
Competências
A Oficina procura oferecer aos alunos: (i) uma moldura intelectual para melhor compreensão da negociação e da mediação e do conceito de sucesso de uma negociação; (ii) como aprender com a sua própria experiência; (iii) uma série de habilidades interpessoais e estratégias de solução de problemas; (iv) como ter maior percepção de si mesmo e dos outros na negociação e nos conflitos.

Habilidades
Entre as habilidades que serão desenvolvidas na Oficina, destacamos: (i) raciocínio analítico; (ii) visão pragmática; (iii) criatividade; (iv) criação de valor; (v) visão interdisciplinar; (vi) capacidade de ver situações sob diferentes perspectivas, inclusive a de partes adversas; (vii) autopercepção; (viii) aprender a aprender com a experiência; (ix) comunicação eficiente; (x) assertividade; (xi) empatia; (xii) lidar com situações difíceis; (xiii) gerenciar as tensões de um conflito; (xiv) identificar conflitos de agência e lidar com eles.

Bibliografia: 

REFERÊNCIAS OBRIGATÓRIAS
MNOOKIN, Robert H.; PEPPET, Scott R.; TULUMELLO, Andrew S. Beyond Winning: Negotiating to Create Value in Deals and Disputes. Massachussetts: Belknap Press, 2004.
STONE, Douglas; HEEN, Sheila. Difficult Conversations. Nova York: Penguin, 2000.
_______. Conversas Difíceis. São Paulo: Campus, 2006.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES
FISHER, Roger; SHAPIRO, Daniel. Beyond Reason. Nova York: Viking, 2005.
GOLBERG, Stephen B.; SANDER, Frank E. A.; ROGER, Nancy H.; COLE, Sarah Rudolph. Dispute Resolution: Negotiation, Mediation and other Processes. Aspen Publishers, 2012.
KAPLOW, Louis; SHAVELL, Steven. Decision Analysis, Game Theory and Information. Nova York: Foundation Press, 2004.
LAX, David A.; SEBENIUS, James K. 3D Negotiation. Massachussetts: Harvard Business School Press, 2006.
MNOOKIN, Robert H.; PEPPET, Scott R.; TULUMELLO, Andrew S. Beyond Winning: negotiating to create value in deals and disputes. Massachussetts: Belknap Press, 2004.
STONE, Douglas; HEEN, Sheila. Conversas Difíceis. São Paulo: Campus, 2006.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede