A filosofia analítica do Direito é etnograficamente limitada?

Edição: 
Revista DIREITO GV 29
Autor: 
Valdenor Monteiro Brito Júnior
Resumo (abstract): 

Este artigo pretende apresentar o potencial caráter WEIRD – Western, Educated, Industrialized, Rich and Democratic – das intuições usadas na filosofia analítica do Direito, fornecendo evidência à crítica feita pela Teoria Naturalizada do Direito de Brian Leiter sobre a limitação etnográfica do recurso às intuições dentro da teoria jurídica. Essas intuições sobre o Direito advêm de um estilo de raciocínio situado no extremo fim analítico da escala “analítico x holístico” que não corresponde ao padrão da humanidade, não produzindo inferências universalizáveis sobre o conceito de Direito.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede