Organization of Private Relations

Ementa: 

A disciplina Organização das Relações Privadas (ORP) destina-se a alunos de primeiro semestre e tem como objetivo central apresentar a dogmática jurídica a partir do estudo de institutos fundamentais do Direito Privado.
De acordo com o projeto da DIREITO-GV, o programa da disciplina não pretende ser exaustivo. A partir do objetivo central de ensinar ao aluno iniciante o modo de pensar da dogmática jurídica, serão tratados os seguintes temas considerados fundamentais para a compreensão do Direito Privado: pessoa física e direitos da personalidade; pessoa jurídica, suas espécies e sua desconsideração; autonomia privada; capacidade (de direito e de agir); relação jurídica; negócio jurídico, nulidade e anulabilidade dos negócios jurídicos e seus defeitos. Estes institutos serão analisados principalmente a partir de problemas e casos concretos.

Bibliografia: 

REFERÊNCIAS:
Referências Obrigatórias
Almeida Costa, Mário Júlio. Direito das obrigações, 9a. ed., Coimbra: Almedina, 2001, pp. 200-205.

Almeida, Silmara Juny de Abreu Chinelato e. “Início da Personalidade da Pessoa Natural no Projeto de Código Civil”. In Revista do Instituto dos Advogados de São Paulo, São Paulo, dez. 1997, pp. 78-91

Almeida, Silmara Juny de Abreu Chinelato e. “Direitos de Personalidade do Nascituro”. in Revista do Advogado. São Paulo, nº 38, dez/1992, pp. 22-3

Amorim Filho, Agnelo. Critério científico para distinguir a prescrição da decadência e para identificar as ações imprescritíveis. In: Revista dos Tribunais, São Paulo: RT, v. 300, p. 1-37, 1954.

Bernardes de Mello, Marcos. Teoria do fato jurídico – Plano da existência, 12a. ed., São Paulo: Saraiva, 2003, pp. 161-168 e 176-184.

Bernardes de Mello, Marcos. Teoria do fato jurídico – Plano da validade, 6a. ed., São Paulo: Saraiva, pp. 128-135 (simulação); pp. 204-213; 147-165 (erro); 168-179 (dolo); 183-188 (coação); 193-195 (estado de perigo);198-202 (lesão);

Bernardes de Mello. Teoria do fato jurídico – Plano da eficácia, 1a. parte, São Paulo: Saraiva, 2003, pp. 94-100.

Ferreira Mendes, Gilmar, Liberdade de expressão e de comunicação e direito à honra e à imagem, in Revista de Informação Legislativa, 122 (1994), pp. 297-301.

Magano, Octávio Bueno. Primeiras lições de direito do trabalho, 3a. ed., São Paulo: RT, 2003, pp. 99-100; 113-114.

Püschel, Flavia Portella (org.). Organização das relações privadas – Uma introdução ao Direito Privado com Métodos de Ensino Participativos, São Paulo: Quartier Latin, 2007.

Requião, Rubens. Abuso de direito e fraude através da personalidade jurídica – “disregard doctrine”, in Aspectos modernos de direito comercial (estudos e pareceres), v. 1, 2a. ed., São Paulo: Saraiva, 1988, pp. 67-83.

Rodriguez, Américo Plá. Princípios de direito do trabalho, São Paulo: LTr, 1993, pp. 66-69.

Ross, Alf. Tû-Tû, São Paulo: Quartier Latin, 2004, pp. 13-54.


Referências Complementares
ALEXY, Robert. Teoria da Argumentação Jurídica, São Paulo: Landy, 2005.

ALISSON, Henry A. Allison, Henry A. “Autonomia – autonomia e liberdade”, in: “Dicionário de Ética e filosofia moral”, vol I, Editora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo,  2003.

ALMEIDA, Silmara Juny de Abreu Chinelato e. Tutela civil do nascituro. São Paulo: Saraiva, 2000.

ALVES, Gláucia Correa Retamozo Barcellos. “Sobre a dignidade da pessoa” in: “A reconstrução do direito privado”, Judith Martins-Costa (org), Revista dos Tribunais, 2002.

ASCENSÃO, José de Oliveira. Os direitos de personalidade no Código Civil brasileiro. In: Revista Forense. Rio de Janeiro, v. 94, n. 342, p. 121-129, abr./jun. 1998.

AUBRY, Charles; RAU, Charles. Cours de droit civil français d’après la méthode de Zachariae. Paris: Marchal et Godde, 1917. v. 9.

BETTI, Emilio – “Autonomia Privata” in Novissimo Digesto Italiano, t. I. Torino, UTET, pp. 1.559-1.561.

BETTI, Emilio – Teoria generale del negozio giuridico. Napoli, Scientifiche, 1994.

BEVILAQUA, Clovis. Codigo Civil dos Estados Unidos do Brasil commentado. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1921, v. 1, pp. 169-172.

CÂMARA LEAL, Antônio Luís da. Da prescrição e da decadência. Rio de Janeiro: Forense, 1928.

CASTRO, Torquato. Teoria da situação jurídica em Direito Privado nacional. São Paulo: Saraiva, 1985, pp. 50-114.

COMPARATO, Fábio Konder e Salomão Filho, Calixto. O poder de controle na sociedade anônima, 4a. ed., Rio de Janeiro: Forense, 2005, pp. 319-362.

CORDEIRO, António Menezes. O levantamento da personalidade colectiva no direito civil e comercial. Lisboa: Almedina, 2000.

COUTO E SILVA, Clóvis Veríssimo do. Anteprojeto de Código Civil: Princípios para a reforma do Direito de Família. Arquivos do Ministério da Justiça, Rio de Janeiro, n. 115, v. 32, p. 153-192, jul/set. 1975.

CUNHA, Alexandre dos Santos. A normatividade da pessoa humana: o estatuto jurídico da personalidade e o Código Civil de 2002. Rio de Janeiro: Forense, 2005, pp. 9-57.

DANTAS, Francisco Clementino de San Tiago. Programa de Direito Civil: teoria geral. Atualizado por Gustavo Tepedino. Rio de Janeiro: Forense, 2001, pp. 133-142.

DOTTI, René Ariel. A liberdade e o direito à intimidade. In: Revista de Informação Legislativa, a. 17, n. 66, abr-jun 1980.

DWORKIN, Ronald. Os Direitos Levados a Sério, São Paulo: Martins Fontes, 2002.

DWORKIN, Ronald. “Life’s Dominion – An argumentation about abortion, euthanasia and individual freedom”, Vintage Books, Nova Iorque, 1994.

EASTERBROOK, Frank H.; FISCHEL, Daniel R. The economic structure of corporate law. Cambridge: Harvard University Press, 1991.

EDELMAN, Bernard. La personne em danger. Paris: PUF, 1999, pp. 113-121.

ENGRÁCIA ANTUNES, José. Liability of corporate groups. Autonomy and control in parent-subsidiary relationships in US, German and EU Law. A international and comparative perspective, Kluwer, Deventer e Boston, 1994, p. 58 a 64.
FERRAZ JR.,Tercio Sampaio. Introdução ao Estudo do Direito: técnica, decisão dominação, São Paulo, Atlas, 2003 e Direito, Retórica e Comunicação, São Paulo: Saraiva, 1997.

FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Sigilo de dados: o direito à privacidade e os limites à função fiscalizadora do Estado. Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, v. 1, p. 141-154, 1992.

FERREIRA DE ALMEIDA, Carlos, Texto e enunciado na teoria do negócio jurídico I, Coimbra, Almedina, 1992.

GARRIGUES, Joaquín. Problemas atuais das sociedades anônimas, Sérgio Antonio Fabris, Porto Alegre, 1982, p. 37 a 51.

GERKEN, Heather K. What we talk about when we talk about persons: the language of a legal fiction. Harvard Law Review, Cambridge, v. 114, n. 6, pp. 319-349, 1993.

GOMES, Orlando – “Autonomia Privada e Negócio Jurídico – Revezes” in Novos Temas de Direito Civil. Rio de Janeiro, Forense, 1983, pp. 77-89.

GOMES, Orlando. “Decadência do voluntarismo jurídico e novas figuras jurídicas” e “Introdução à temática do contrato” in: “Transformações Gerais do Direito das Obrigações”, Ed. RT, 2ª ed., 1981.

HAFT, Fritjof. “Direito e linguagem”, in: A. Kaufmann, W. Hassemer (orgs.), Introdução à Filosofia do Direito e à Teoria do Direito Contemporâneas, Lisboa, Fundação Calouste Gulbekian, 2002.

HANSMANN, Henry e KRAAKMAN, Reinier. What is corporate law?in The Anatomy of Corporate Law. A Comparative and Functional Approach, KRAAKMAN, Reinier R.; DAVIES, Paul; HANSMANN, Henry; HERTIG, Gerad; HOPT, Klaus J.; HANDA, Hiedeki; ROCK, Edward B., Oxford University Press, Oxford, 2004, p. 6 a 10.
HART, Herbert. O Conceito de Direito, Lisboa: Calouste Gulbekian, 2001 (especialmente o capítulo VII).

HATTENHAUER, Hans. Conceptos fundamentales del derecho civil: introducción histórico-dogmática. Tradução de Pablo Salvador Coderch. Barcelona: Ariel, 1987, pp. 13-28.

IRTI, Natalino – L’ ordine giuridico del mercato, 5ª ed.. Roma/Bari, Laterza, 2003.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito, São Paulo: Martins Fontes, 2004 (especialmente o último capítulo).

KELSEN, Hans – General theory of law and state. New York, Russel & Russel, 1961.

KLEIN, William A.; COFFEE JR., John C. Business organization and finance – legal and economic principles. 9 ed. New York: Foundation Press, 2004.

LUDWIG, Marcos de Campos. O direito ao livre desenvolvimento da personalidade na Alemanha e possibilidades de sua aplicação no Direito Privado brasileiro. In: MARTINS-COSTA, Judith. (org.). A reconstrução do Direito Privado: reflexos dos princípios, diretrizes e direitos fundamentais constitucionais no Direito Privado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002a. p. 265-305.

LUHMANN, Niklas. Sistema Jurídico e Dogmática Jurídica, Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1983.

MACNEIL, I. The New Social Contract. New Haven : Yale University Press, 1980.

MARTINS-COSTA, Judith. “Crise e modificação da idéia de contrato no direito brasileiro”, Revista Direito do Consumidor, vol. 03, Revista dos Tribunais, São Paulo, 1992.

MENEZES CORDEIRO, António. Tratado de Direito Civil português. Coimbra: Almedina, 1999, v. 1, t. 1, pp. 99-147.

MOREIRA ALVES, José Carlos, A Parte Geral do projeto de Código Civil brasileiro, 2ª ed., São Paulo, Saraiva, 2003.

NEUMANN, Franz. The Rule of Law. Political Theory and the Legal System in Modern Society, Leamington: Berg, 1986 (especialmente o capítulo 14).

OLIVECRONA, Karl. Linguagem jurídica e realidade. São Paulo: Quartier Latin, 2005.

OLIVEIRA, José Lamartine Corrêa de. A dupla crise da pessoa jurídica. São Paulo: Saraiva, 1979.

PALAZZANI, Laura. Il concetto di persona tra bioetica e diritto. Turim: B. Giappichelli, 1996, pp. 25-39.

PINTO, Paulo Mota. A limitação voluntária do direito à reserva sobre a intimidade da vida privada. In: DIAS, Jorge de Figueiredo; BARRETO, Ireneu Cabral; BELEZA, Teresa Pizarro; FERREIRA, Eduardo Paz. Estudos em homenagem a Cunha Rodrigues. v. II. Coimbra Editores, 2001. p. 527-58.

PONTES DE MIRANDA, Francisco Cavalcanti. Tratado de Direito Privado. Rio de Janeiro: Borsoi, 1970, v. 1, pp. 166-182.

RODAS, João Grandino. Sociedade comercial e estado. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista: Saraiva, 1995.

RODRIGUES, Silvio, Dos vícios do consentimento, São Paulo, Saraiva, 1979.

SERICK, Rolf. Rechtsform und Realität Juristischer Personen. 2.ª ed. Tübingen: Mohr, 1980. Há tradução italiana com o título Forma e Realtà della Persona Giuridica (Milão: Giuffrè, 1966).

SOMMA, Alessandro – Autonomia privata e struttura del consenso contrattuale (aspetti storico-comparativi di una vicenda concettuale). Milano, Giuffrè, 2000.

VERÇOSA, Haroldo Malheiros Duclerc. Curso de direito comercial. 1 v. São Paulo: Malheiros, 2004.

VERRUCOLI, Piero. Il superamento della personalità giuridica delle società di capitali nella common law e nella civil law. Milão: Giuffrè, 1964.

VILLEY, M. Estudios en torno a la noción de derecho subjetivo. Trad. esp. Valparaíso : Ediciones Universitarias de Valparaíso, 1976.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede