Ágio - formas de sistematização das modalidades existentes

Ágio - formas de sistematização das modalidades existentes

O Núcleo de Estudos Fiscais (NEF) da FGV Direito SP, no âmbito do Projeto Macrovisão do Crédito Tributário, convida a todas e todos para um colóquio com o objetivo de debater o ágio tributário e as formas de sistematização das modalidades existentes, especificamente na combinação de negócios sob coordenação comum.

Para a economia, a ideia de ágio significa o sobrepreço pago sobre um bem na expectativa de que, futuramente, seja por qualquer razão econômica, aquele bem terá um valor maior. Essa noção sofre algumas alterações quando analisada sob a perspectiva jurídica ou contábil. Para fins de tributação, a discussão se resume na possibilidade ou não de amortizar o ágio para fins de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e, nas hipóteses permitidas para dedução, quais são as situações que devem estar atendidas para que esta seja possível. O ágio, portanto, terá um impacto direto no valor da tributação do IRPJ, pois impactará na base de cálculo do tributo acima indicado.

O evento será realizado pelo canal da FGV no YouTube.

 

INSCREVA-SE

 

Programação:

Palestrante:

Thais Meira, sócia do BMA Advogados

Debatedores:

Luciana Galhardo, sócia do Pinheiro Neto Advogados

Roberto Barrieu, sócio do Cescon, Barrieu, Flesch & Barreto Advogados

Moderadores:

Eurico Santi, coordenador do Núcleo de Estudos Fiscais (NEF) da FGV Direito SP

Isaías Coelho, coordenador do Núcleo de Estudos Fiscais (NEF) da FGV Direito SP

 

 


Patrocínio:

 

 

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede