A sociedade anônima e a democracia na América do Sul

A presente pesquisa se valerá dos estudos teóricos relacionados a critérios democráticos a fim de cotejar o nível de democracia e a flexibilidade da regulação da sociedade anônima nos países da América do Sul, especialmente em relação à proteção dos investidores e à busca pela perenidade das companhias. A hipótese deste trabalho é a de que quanto maior o coeficiente democrático do país, mais exigente será o marco-jurídico das sociedades anônimas.

  • Antonio Angarita

    Especializado em Integração da América Latina pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (1964) e em Economia Brasileira pela Escola de Administração de...

Comentários

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede