O princípio da universalização em Rawls e Habermas: uma avaliação crítica

Edição: 
Revista DIREITO GV 13
Autor: 
Luiz Antonio de Oliveira Lima
Resumo (abstract): 

Este artigo se dedica à análise do movimento de ”patologização” do criminoso por uma leitura histórica do impacto do ”cientificismo cerebral” na esfera criminal. Mais particularmente, atenta-se para a recepção das teorias de matriz Lombrosiana pela criminologia brasileira do século XIX, na qual se vê o microcosmo do conflito de interesses de classes e raças mediado pela autoridade médica que, na sua crença científica (ou na sua filiação ideológica), procurava esclarecer os limites entre a falta moral e a loucura – ou os dois (loucura moral) como doença ou como pura perversidade – e procurava apontar para os juízes a forma correta (científica) de se sancionar ou de se tratar a loucura.

Comentários

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede